Este é o site oficial do piloto de Dragster MAURÍCIO DEBARBA.
Última atualização em 21/10/2013.

 
Sobre Maurício Debarba por Iverson JN.
Quer saber das novidades? Então use a barra de rolagem e vá descendo...
OS MELHORES VÍDEOS VOCÊ VÊ AQUI...

Marvavilhas Modernas - DRAGSTERS, BMW V-8 por Drag Strip etc...em breve tem mais.

OBS: PARA ASSISTIR AOS VÍDEOS CLIQUE SOBRE A FOTO.

E QUE VENHA O FESTIVAL BRASILEIRO 2.013...
.................................................

 

O 17º Festival Brasileiro de Arrancada foi um sucesso.

Tendo aproximadamente 360 pilotos inscritos, e um público muito próximo do ano passado os quatro dias de prova foram marcados por disputas acirradas e muitas quebras de recordes.

Foi uma grande festa, uma confraternização que todo ano acontece em Curitiba que já é marca registrada do FESTIVAL BRASILEIRO. Pilotos vindos de todos os cantos do Brasil e nós...ha...nós...que pena, desta vez vimos nosso concorrente Alejandro Sanchez da Equipe FLASH POWER levar o troféu de primeiro colocado. Parabenizamos aqui toda a Equipe pela vitória e a nós pelo segundo lugar nesta prova que para nós foi muito difícil.

Tivemos um final de semana como não tinhamos há anos...em 20 anos de estrada nossa Equipe só passou por situações como essa em outras duas ocasiões. Nos treinos o Top estava ótimo, mas de uma hora para outra os problemas começaram. E aí passamos o final de semana. Quando acerteva uma coisa, outra nos deixava na mão. Tudo começou com uma forte trepidação na hora da largada, provavelmente por causa de ajustes de embreagem, o que causou um dano imenso ao carro. Quebraram peças, outras se soltaram e isto tudo deu muito trabalho para ajustar novamente. Tanto que um problema na sustentação da asa traseira só foi identificado de última hora. Realinhamos o carro porém tiramos um pouco da pressão da embreagem e daí com pista boa na nossa melhor largada a marca de 60 pés que em todo o treino virou na casa de 1,0 segundo baixo subiu para quase 1,2 segundo. isto é uma perda considerável de quase 0,200 segundos tendo em vista que perdemos a corrida por uma diferença de 0,041 segundos. Na largada que seria a final não alinhamos, pois verificou-se uma perda da pressão óleo no motor que não permitiria sequer fazer o Bournout com o motor inteiro. O chefe de Equipe JAA e Debarba resolveram abortar a largada, pois qualquer tentativa de largar condenaria o motor do Dragster. Mas fazer o que, a sorte estava do outro lado.

Agora é nos prepararmos para o ano de 2.011. O carro está montado e toda a Equipe pronta para um novo desafio é só ajustar os detalhes e VAMOS PRA PISTA.

VEJA ABAIXO UM BREVE RELATO SOBRE NOSSA PARTICIPAÇÃO NO 17º FESTIVAL BRASILEIRO DE ARRANCADA.

 

 

Momentos

&

Detalhes do Evento

ESTA É UMA IMAGEM QUE FALA POR SI SÓ...

Com tanta força na hora da largada, afinal são mais de 3.000 HPs despejados aí no concreto ao mesmo tempo, dá pra você entender através desta imagem porque os pneus dos Dragsters tem que ser parafusados na roda. Depois do Bornout e com uma pista preparada com VHT e já emborrachada o que temos é esta imagem impressionante, os pneus enrugam e jogam ao mesmo tempo o Top para frente como se fosse um elástico. Isto somente acontece porque tudo é feito para ser assim.

MOSTRUOSO e ESPETACULAR ao mesmo tempo. A base de tudo parece simples, mas a MAGIA que envolve um Dragster e seus segredos para alcançar velocidades altíssimas com tempos incrivelmente baixos impressionam até os mais entendidos em automobilismo.

Clique na foto ao lado e vá até a GALERIA do 17º Festival ver as fotos que postamos.

 
   

A maioria das pessoas nos faz a mesma pergunta. "QUANTO COMBUSTÍVEL GASTA UM DRAGSTER?" QUE COMBUSTÍVEL VOCÊS USAM?...Gasolina?..., Álcool?..., Gasolina de Aviação?...

Em números isto é perto de 50 litros, entre o aquecimento de pneus e os 402 metros que são percorridos. O combustível que usamos é METANOL (100% - sem adição alguma de NITROMETÂNO).

Veja uma demonstração de quanto gasta um Dragster em poucos segundos. Aqui temos uma simulação com um ÚNICO CILINDRO. É só clicar na foto ao lado e ver a simulação.

Ao lado o nosso responsável por todo esse DESPERDÍCIO...

...esse MONSTRINHO BEBE MUITO...kkk

Aqui começa tudo. O Bournout (aquecimento forçado de pneus) é um momento muito importante em uma prova de arrancada. Ele chama a atenção pelo visual e a demonstração de força e brutalidade do motor, causando um barulho ensurdecedor e imagens incríveis como as duas que vemos aqui. O carro passa em uma parte da pista que é molhada para que os pneus destracionem mesmo, assim podemos economizar o motor. Muitas vezes por descuido ou excessos perde-se um motor já no Bournout. Por isso às vezes vemos pilotos indo com menos vontade na hora de aquecer os pneus.
 
 

É através do Bournout que o piloto vai ter a aderência necessária nos pneus na hora da largada, claro que juntamente com uma pista bem preparada ele conseguirá passar o máximo da potência do motor do carro para pista sem perdas (patinadas em falso), pois na hora da largada cada volta em falso representa preciosos milésimos de segundo perdidos.

Na pista usa-se uma além do emborranchamento uma espécie de cola chamada de VHT, Trackbite ou ainda PJ1 que fará o serviço juntamente com os pneus aquecidos. Por isso deve-se ir e voltar pelo mesmo trilho. Esta GOMA vai ajudar a grudar os pneus sem que os mesmos patinem e aí meus amigos, azar das outras peças do carro...se não estiver tudo em dia lá se vai pontas de eixo, caixa de câmbio ou qualquer outra peça que não esteja em ordem.

Muitas pessoas acham que isto somente serve para que o piloto volte de ré por não ter retrovisores, mas não é bem assim. Os dois mecânicos tem a função de colocar o piloto no trilho feito por ele mesmo na hora do Bournout (o que já lemos acima porque). A pista ali também está previamente aquecida e limpa pela passada dos pneus no Bournout. Largar neste mesmo caminho é uma grande ajuda para dar mais tração na largada e melhorar o tempo.
 
 
No caso de toda a mecânica aguentar o DESAFORO e o piloto conseguir largar o mais próximo possível do trilho feito por ele o que vemos é esta imagem espetacular. Pneus traseiros grudados na pista, motor despejando potência no chão.
E com muita sorte os mais atentos veêm a frente rapidamente sair do chão como na foto ao lado feita no 16º Festival em 2.009. Hoje com a tecnologia podemos contar com fotógrafos com equipamentos modernos que registram e podemos apreciar depois, pois a largada é tão rápida que em poucos milésimos de segundo já se foi. Observem novamente a posição do pneu traseiro nesta foto também. Foram tiradas uma em cada ano.
 
 
Outro detalhe que chama a atenção...o que será que o Recka (nosso mecânico) está passando na entrada das borboletas do Blower? Isto é um spray com um líquido anticongelante. Ele vai evitar que o Blower congele travado na posição de aceleração máxima na hora de parar o carro no final dos 402 metros. Detalhe, se travar teremos sérios problemas na hora de frear com o carro. Mesmo com os páraquedas abertos e o corte do combustível o carro irá muito mais longe e com alta velocidade e no final cada metro perdido é um metro mais perto do final da pista. Quanto antes parar melhor.
Momento de muita concentração. É hora de alinhar o carro, às vezes demora-se um pouco para repassar todos os procedimentos a serem efetuados e também para deixar o outro piloto um pouco apreensivo, aí ganha-se no desequilíbrio do outro. Alinhar muito rápido também pode ser um grande trunfo, mostra que você está pronto, por outro lado o outro pode matar um tempinho e te deixar desconcentrado por instantes...pronto era o suficiente para ele ter uma reação melhor que a sua.
 
 
Ainda alinhando, os mecânicos aí estão encarregados de ligar o RACEPAK antes da largada. Isto é um módulo de leitura de todas as funções do carro enquanto percorre a pista. É uma espécie de TELEMETRIA. Quando o carro volta para o box os mecânicos desligam ele, sacam o cartucho de dados e jogam tudo num programa do próprio Racepak instalado já é um PC/Notebook e fazem a leitura de tudo o que ocorreu na largada. São dezenas de leituras que ajudam no acerto do carro. Na próxima largada algumas coisas podem ser corrigidas ou até pontos melhorados. O detalhe é que ele só pode ser ligado instantes antes da largada, pois ele grava no máximo algo próximo de 1 minuto.

Hora da largada...a luz verde acende e o piloto tem poucos segundos pra resolver tudo. Um bom tempo de reação somado com um tempo de pista bom podem fazer a diferença. Debarba teve uma reação de 0,038 segundos, porém o tempo do carro em pista não foi dos melhores. Faltou muito pouco para levar.

Vejam no detalhe, a luz verde acesa e as borboletas do Blower escancaradas. Ali entra muito ar que vai pra dentro do motor junto com uma quantidade imensa de combustível. A força é explicita pela torção dos pneus que chegam a enrurgar e logo em seguida empurram o carro para frente na forma de uma elástico. A torção vem seguida de um coice contra o piloto que só pode ser comparada a aviões de caça e na maioria das vezes no Dragster é maior. Pronto, antes mesmo de você terminar de ler este parágrafo o piloto já está no final da reta com os pára-quedas abertos...Foram algo perto dos 6,000 segundos.

 
 
Para todos da equipe ficarem tranquilos somente depois desta imagem. Os dois pára-quedas abertos no final da reta dão uma tranquilidade sem igual. Sinal de que o carro percorreu todo o trecho e é hora de voltar para o box e fazer uma revisão de tudo que é uma rotina previamente determinada. A cada nova largada o carro é revisado, enquanto você assiste a prova mesmo que o carro não tenha problema algum é feita uma revisão em uma série de pontos do carro. Pra se ter uma idéia em um evento o carro chega a ser desmontado por várias vezes, inclusive o motor. Por isso quando você passa pelos boxes dessas equipes grandes após uma largada ninguém está muito pra papo. Todo mundo tem algo a fazer, piloto e chefe de equipe estudam o Racepak, mecânicos encarregados do desmonte do carro, motor, embreagem, montagem dos pára-quedas, reabastecimento, verificação de todos os pontos de fixação do carro se estão intactos e mais um check-list que mais parece um plano de vôo do que qualquer outra coisa.
E aqui o resultado final, pódio da categoria. Desta vez não deu, mas estamos na batalha. O carro se comportou muito bem e toda a nossa Equipe está de PARABÉNS, foram quatro dias trabalhados na pista, porém semanas na oficina sem horários para que tudo estivesse pronto.
 
 

 

Aí estão quase todos os responsáveis por este SHOW de imagens na pista. Cada um tem uma função...Opa, até o Bob (fotógrafo oficial) saiu na foto...rsrs. Ficaram de fora apenas o nosso chefe de equipe JAA e o Robison da Loja.

 

 

Equipe POWERTECH/DEBARBA Drag Racing Team.
Faltava ainda o principal, o piloto Maurício Debarba e o troféu do evento. O pódio já montado acabou sendo abaixo de um pouco de chuva, mas não tirou o ânimo de todos irem lá para tomar uns pingos de chuva. Dá pra ver pelo visual do piloto...não é suor não...rsrsrs.
 
 
Visitas sempre aparecem nos boxes em dias de prova. Aí na foto da direita para a esquerda, Victor Debarba, Fontana (a visita é ele...rs..), a fera adormecida, ou melhor, está sem motor no seu Dragster...rsrsrs...todos esperam pelo seu retorno, este é figura das Antigas, Maurício Debarba e Eu. Fontana é um grande amigo de Debarba e meu já tem muitos anos. Ele juntamente com Debarba e mais um grupo de amigos é que deram início a este movimento de provas de Arrancada em Curitiba, isto data de 1.989 e está aí até hoje neste sucesso que vocês podem acompanhar.
Também visitando nosso box esteve por lá o Cabeça, o homem dos SUPER DESENHOS. Este é fera. Deu uma passada, bateu um papo e até posou pra foto...rs.
 
 
Visual bonito do Dragster da nossa Equipe e uma menção ao que nos move no "DIA a DIA", sem o aval do Pai nada disso seria possível. OBRIGADO SENHOR por estar sempre do nosso lado e nos conduzindo e protegendo.
Falando em VISUAL olhem isto, chega ser até INSANO. O motor do Dragster número 12 da Equipe POWERTECH do piloto Maurício Debarba é simplemente assutador com seus 3.000 CVs aproximadamente. Até desligado impressiona. Olhem o tamanho dos cabeçotes, blower, correia, magneto, mangueiras de combustível então...é tudo uma IGNORÂNCIA SÓ....rsrsrs.
 
 

Detalhe interessante pra quem nunca viu são os parafusos que prendem as rodas nos pneus. Isto é necessário, pois senão quando dada a largada o carro não patinaria na pista devido ao aquecimento dos pneus e sim os mesmos escorregariam dentro da roda causando um giro em falso como um patinada, só que da roda com o pneu e aí o estrago pode ser grande. Nunca se sabe no que pode acabar isto.

Para segurar a cavalaria depois que ela dispara nos 402 metros muitas vezes bem próximo dos 400 km/h temos estes dois ítens inseparáveis. Ao lado o sistema de freios a disco com pinças de pistão duplo e discos que normalmente são de fibra de carbono.

E aqui ao lado um par de pára-quedas SIMPSOM que compeltam o serviço, eles trabalham em conjunto. O carro somente com os freios não conseguiria parar com segurança aí entram os pára-quedas que reduzem brutalmente a velocidade auxiliando o piloto na frenagem. Eles chegam a reduzir a velocidade em 50% quando acionados. Quem sofre é o corpo do piloto que receber uma quantidade enorme de energia contrária da aceleração. O trabalho de montar eles no lugar é muito sério e requer muita atenção, pois havendo falhas os problemas virão com certeza. E é claro, estas travas em vermelho são para que não se esqueça de liberar ela antes da saída ou também para prevenir que alguém dispare eles acidentalmente nos boxes ou no trajeto antes da largada.
 
 
Para dar direção ao Dragster temos estas belas rodas Weld Racing calçadas com pneus Goodyear, elas são finas porém muito eficientes mantendo e recolocando o carro em linha reta quando necessário. Seja lá qual for a velocidade elas dão conta do recado.
Aqui temos um momento de descontração, enquanto aguardávamos a 2ª largada oficial todos em volta do carro e o Bob, lá estava ele com a câmera em mãos registrando tudo. Claro que não estavam todos aí. Vejam a foto abaixo...rsrsrs.
 
 
Nosso piloto aproveitou a espera para relaxar e esticar o corpo. Nestes dias de prova não parece, mas o cansaço vem rapidamente. É muita tensão, principalmente para quem vai pilotar um carro com tanta potência. E aí já tinhamos quase três dias de prova passada, era final de tarde no sábado. Uma pequena chuva havia retardado a largada e só fomos largar mesmo no domingo cedo. Vai com o carro pra pista, volta...tudo vira stress.
Como havia dito acima, a chuva acabou com a espectativa de uma 2ª largada oficial no sábado e paramos com tudo. Colocamos nosso bruto pra dormir e fomos ver a vizinhança o que fazia. Festa no box ao lado, festa no Bar da Força Livre, Festa atrás do nosso box, era uma festa só.  
 
Pra falar a verdade não sei se Debarba conseguiu relaxar, olhem o RADINHO do nosso vizinho de box. Asfalto molhado, nada de corrida e....AGUENTEM o TREME TERRA...meus amigos é simplesmente um ABSURDO o que este brinquedinho é capaz de fazer, treme até a alma. A trilha sonora então, era de Bonde do Tigrão em diante....hahahah...acorde em casa de madrugada e minha cabeça era só FUNK...hahahah...foi uma brabeira só, mas valeu.

Bom Festival Brasileiro é assim mesmo, uma grande festa, uma confraternização...no caminho do churrasquinho no ônibus do pessoal da Equipe Flash de São Paulo olha o que encontramos, o Bar da Força Livre...começou assim e sei lá como isso terminou...rsrsr...algumas mulheres e quase uma centena de marmanjos...e tome cerveja no Barzão...aí é bonito...rssrs.

Tem ainda uns doidos que entram no clima das moças que estão ali pra enfiar uma PORRADINHA goela abaixo e saem dali sem rumo algum...rsrsr...

 
 

Equipe POWERTECH/DEBARBA Drag Racing Team em plena atividade no 17º Festival Brasileiro de Arrancada em Curiiba. Eu nos pára-quedas, Maurício ajustando o cock-pit, Fábio, Marcelinho, Recka e Samir nos ajustes de motor e dentro do box JAA cuidando dos números da telemetria.

A prova foi no AIC - Autódromo Internacional de Curitiba de 09 a 12 de dezembro de 2.010. Veja abaixo algumas imagens.

 

Equipe POWERTECH/DEBARBA Drag Racing Team.
Por isso que ninguém achava o MACACO no box... putz... ele resolveu posar para fotos com o Chefe e o Maurício...hahahha.
 
 

A FÉ acompanha Maurício desde pequeno e por onde ele vai e ele leva isto muito a sério. Tanto é que fez questão de pedir já no ano passado que fosse confecionado o adesivo que vai na asa dianteira do Top e colou no seu capacete esta linda medalha de NOSSA SENHORA.

A concentração pouco antes de cada largada com o Top é muito importante, afinal partir do zero e ir perto de 400 km/h em algo muito próximo de 6,000 segundos e algo que requer muita concentração e habilidade.

Momento de descontração, toda a Equipe reunida e torno do Top em frente aos boxes. O guarda sol é uma prova de um dia como poucos em Curitiba, temperatura perto dos 30º C. Aqui só ficou de fora nosso fotógrafo oficial, o Bob...rs...calma, ele aparecerá mais a frente.
 
 
Momento das celebridades se encontrarem. Aí junto com Debarba está Luis Cláudio Amananjás, o piloto da Insana Caravan 58 da categoria Por Mod da Equipe Flash de São Paulo.
Luis Cláudio chegou a bater o recorde da categoria Pro Mod, mas logo foi alcançado pelo piloto e nosso grande amigo Scort do YBL 888 de Curitiba. Ainda numa última tentativa Luis Cláudio entrou na casa dos sete segundos marcando 7,975 segundos contra 7,702 segundos de Scort que ficou com o 1º lugar e recorde da categoria.
 
 
Aqui Debarba entrega o DVD dos melhores momentos de sua carreira a Samuel Cubas, grande fã e amigo que ficou a maior parte do tempo próximo aos boxes da Equipe torcendo por Debarba e toda a Equipe POWERTECH.
Janine Furtado do programa PLUG da Rede RPC entrevista Debarba nos boxes. O programa foi ao ar sábado, dia 18/12/2.010 às 11:30 hs da manhã.  
 

Cada um cuida de um detalhe, Eu sou o responsável pelos pára-quedas. O nosso fotógrafo oficial Bob desta vez está me auxiliando, pois os outros estão nos ajustes mecânicos e fiquei sem auxiliar.

A abertura dos pára-quedas gera uma força G negativa, jogando o piloto pra frente, que pode passar de 3 Gs sobre o corpo do piloto quando os mesmos são acionados, isto num TOP ALCOHOL que é o nosso caso, bem como 3 Gs positivos quando o carro arranca, prensando o piloto contra o Santo Antônio para trás. É importantíssimo que o piloto esteja TRAVADO com o cinto de segurança, pois a força sobre seu corpo é imensa e em caso de acidentes ele tem que estar TRAVADO NO BANCO. O piloto usa cinto de 5 pontas, Hans Device e maisuma proteção que vai ligada dos braços ao cinto limitando os movimentos dos braços. Em caso de capotamento os braços não correm o risco de serem lesionados fora do cock-pit.

Falando em Hans Device olha ele aí. O pequeno Vitor ajuda seu pai, MD a colocar o aparato. Ele é importantíssimo na proteção da coluna do piloto. Vejam que ele vai preso no capacete limitando totalmente o movimento da cabeça do piloto. Esta parte maior que vai sobre o ombro fica presa pelo cinto de segurança, então depois de tudo AFIVELADO ele só terá o movimento de cabeça que deixou regulado antes de colocar. É uma proteção e tanto.
 
 

O visual é bastante bonito para um monstro tão agressivo. São aproximadamente 3.000 cavalos de potência. Um bólido desses apresenta números impressionantes. Só o consumo de metanol por largada passa de 40 litros para percorrer os 402 metros.

Olhem que céu para Curitiba. A foto realmente merece fazer a abertura do nosso site. NÃO ACHAM?

O tamanho desses pneus traseiros chega a assustar, mas são eles que garantem que toda a potência não vai ser disperdiçada.

Um dragster como esse faz de 0 a 100 km/h em menos de 1 SEGUNDO e tudo, não somente os pneus tem que aguentar toda a força. São poucos segundos, mas parecem não ter fim.

 
 
Vejam a movimentação das pessoas nos boxes. Além de um número alto de pilotos e equipes dezenas de pessoas circulam na área dos boxes numa prova de arrancada. Isto torna um ambiente mais amigável e familiar com os fãs que estão ali ao lado de seus ídolos. Você que ainda não foi em nenhuma não perca tempo. Vá até o autódromo, compre uma credêncial e veja tudo de pertinho. Isto você só consegue fazer numa prova de arrancada.

Bom, depois todas estas imagens bonitas, só nos resta agradecer a DEUS e a seu filho por tudo ter nos conduzido sãos e salvos até aqui.

Lamentamos os acidentes ocorridos neste Festival e pedimos a DEUS luz e paz para as pessoas envolvidas.

 
 
Mais uma pequena mostra das imagens da prova. O time de pista todo ao redor do carro. Tudo quase pronta para mais uma largada. Visual bonito mesmo.
Uma belíssima imagem do Bournout sob o olhar atendo do Fábio, nosso mecânico pra ver se tudo está certo. Observem que as borboletas do Blower nem chegam a abrir direito e já temos muita fumaça dos pneus.
 
 
Com pouca força aplicada os pneus giram em falso no Bournout devido a água que é colocada na pista. Tudo bem pensado para economizar motor no aquecimento de pneus. O giro em falso gera um show de fumaça que casado com o urro violento do motor incendeia até os mais pacatos cidadãos nas arquibancadas.
Aqui o Recka retira a trava que não permite que o piloto acelere tudo na hora do Bournout, daí em diante é potência plena. É esta traba que ajuda o piloto a controlar o quanto acelera na hora do Bournout.
 
 
Largada bem feita e esta imagem da roda dianteira levemente levantada. Um Dragster despeja muita força nessa hora e é quase que inevitável que a dianteira descole do chão.
Por outro ângulo vocês podem ver a mesma imagem, com as duas rodas fora do chão e as borboletas do Blower totalmente abertas o carro parte em busca de um tempo melhor. O que nesta prova não veio.
 
 
Enquanto o pessoal está aí preparando os detalhes para funcionar o carro Eu aproveitei para fazer pose e tirar umas fotinhos...hahah...afinal a concentração é do Maurício agora. Meu trabalho foi realizado, as fitas POWERTECH mostram que os páraquedas já estão prontos para ser acionados.
Bom, não fui só Eu quem aproveitou as lentes do nosso fotógrafo. Na hora do alinhamento o Fábio ao lado e o Recka abaixo cuidam para que o Dragster retorne para a linha de largada o mais próximo possível do trilho de borracha já pré aquecida pelos pneus girando em falso.
 
 
Ao fundo nas duas fotos pode-se ver o pessoal da cronometragem e organização juntamente com o pessoal do time concorrente aguardando que os dois Tops voltem para área de largada. É um momento de muita tensão nessa hora.

E terminamos esta seção com os principais responsáveis por todo este espetáculo. O piloto Maurício Debarba juntamente com João Alexandre, chefe da nossa Equipe e um grande entusiasta do automobilismo nacional.

 

OBRIGADO SENHOR por ter nos guiado sãos e salvos neste evento.

NOS VEMOS NA PISTA!!!

.........

Obrigado pela sua visita e que "DEUS ABENÇOE" a todos Nós.

 

Contato

E-mail: debarba@debarba.com.br

 

Todos os direitos reservados Debarba Drag Racing Team/Iverson JN.